sábado, 5 de fevereiro de 2011

Existência

Só existo de verdade quando estou escondida
numa brecha do tempo no meu canto,
quando não há roupas nem medo,
vergonha nem fingimento, quando sou só desejo e confiança.
O resto do tempo me sinto uma cópia falsificada de mim mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário